sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Depois da novela

Quando pequeno, não entendia o fascínio da mulher da minha vida (que atende até hoje pelo nome de mãe) pela programação de TV entre as 21 horas e as 22h30.

Só com o passar do tempo acabei descobrindo que nesse período ia ao ar algo capaz de prender a atenção de todas as representantes do sexo feminino em solo brasileiro: a novela das oito, que vai ao ar às nove da noite. Curioso.

Em casa, não era raro eu pular no colo da minha mãe esperando carinho extra e atenção e ela pouco notar. Arriscava, então, pedir pelo afago e ouvia a mesma resposta: “No intervalo, filho, agora a mamãe tá vendo a novela”.

Apenas quando o bloco acabava e os comerciais começavam que ela passava a mão nos meus cabelos e me fazia pegar no sono – assim, como num passe passe de mágica.

Então os anos continuaram passando, um mais rápido que o outro. Comecei a morar com meu pai, depois entrei no curso noturno da faculdade... e raramente (ou nunca, para ser mais exato) via um capítulo das novelas da Globo. Apenas reconhecia os atores em algum dia das férias e... só isso.

E esse meu distanciamento das novelinhas das oito-que-começam-às-nove me fez esquecer, também, a reação feminina diante da programação da televisão brasileira durante o período de tempo. Até uns meses atrás.

Após algumas semanas de um início bastante intenso de namoro, estava na quinta-feira de Páscoa à noite sentado no sofá vendo a novela das oito com a minha então namorada. Romantiquinho, antiquado e quase grudento, tentava segurar-lhe a mão, acariciar-lhe o braço, o rosto... mas só era correspondido no intervalo. Igual à minha mãe.

Ela, embora fosse uma mulher completamente diferente de todas as que eu já conheci (a ponto de ver comigo um jogo da Série A-2 do Campeonato Paulista em um sábado ou então de sair de sua cidade no interior do Estado em uma noite de quarta-feira e ir para São Paulo ver o Palmeiras no Parque Antártica), acabou não fugindo à regra de toda mulher brasileira.

Tá certo que dois dias depois desse episódio nosso namoro foi para o beleléu. Mas não foi durante a novela das oito que ela terminou. Creio que nenhuma mulher em sã consciência poria fim a um relacionamento durante a novela. No intervalo talvez, mas nunca durante. Afinal, a novela das oito é sagrada.

3 comentários:

Fábio disse...

Hahahaha! Pô, no meu caso é o contrário: as minhas namoradas geralmente pedem atenção durante a novela. Mas não recebem; só nos intervalos!

(Hahahahaha, tô brincando, nem é tanto assim, não!)

Carolina Maria, a Canossa disse...

Liga não, é que "A Favorita" está ótima!

Boninha disse...

Eu era viciaaada, assistia todas as novelas.

Aí parei em 2005, pra estudar pro vestibular. Juro, essa semana eu tentei ver um pedacinho da novela das 8/9... cruzes, não consigo mais... ai, não é real, parece q todos os atores são da Malhação ¬¬

Eca.