segunda-feira, 20 de junho de 2011

Entenda as piadas sem sentido do Chaves: o cão arrependido

Bem, não se trata necessariamente de uma piada sem sentido, visto que o rebuscado, requintado e refinado poema Volta o cão arrependido é um dos momentos mais tristes de toda a série do Chaves. Mas, assistindo aos episódios das festas da boa vizinhança em áudio original, percebi que os versos são diferentes. A título de curiosidade, fica o registro.

Metade do poema declamado pelo Chaves é diferente na versão original – o que não é muito, visto que Volta o cão arrependido é composto por quatro linhas. De qualquer forma, o cachorrinho que havia fugido e depois regressado a casa não tinha orelhas fartas e nem um osso roído. Vamos ver?

Como todos sabemos, o poema consiste em Volta o cão arrependido/ Com suas orelhas tão fartas/ Com seu osso roído/ E com o rabo entre as patas. Duvida? Olha só.



Mas isso é em português. Notem em espanhol as diferenças no vídeo abaixo, na primeira versão da Festa da Boa Vizinhança (acreditem, perdi horas buscando pela versão que conhecemos, mas todos os vídeos do YouTube cortam essa parte. Em contrapartida, há dois quadros inéditos para nós, que passamos nossas vidas assistindo via-SBT: um show de talentos com Seu Madruga, Bruxa do 71 e Dona Florinda/Professor Girafales e números de mágica - impagáveis - de Quico, Chiquinha e Chaves).

Em espanhol, seja em qual versão dos episódios, Volta o cão arrependido é assim:



Vuelve el perro arrepentido/ Con su mirada tan tierna/ Con el hocico partido/ Y con el rabo entre las piernas.

(Volta o cão arrependido/ Com seu olhar tão meigo / Com o focinho machucado / E com o rabo entre as pernas).

Viram a diferença? Como terna para nós não tem tanto o sentido de “meigo” ou “fofo”, os tradutores se viram obrigados a alterar por algo que rimasse com pernas. Ou patas. E daí as orelhas fartas (que nunca fez tanto sentido, convenhamos, ainda que o gestual do Chaves nos remeta, mesmo a orelhas). E “machucado” não rimaria com “arrependido”. Daí o roído. Nada melhor que um osso, não?

De qualquer maneira, a versão original do Chaves se torna muito mais interessante pela intensidade com qual o poema é declamado. Ele quase chora!

Já que tocamos no assunto, em português o poema é repetido 44 vezes. No México a poesia é bem mais curta: 20 vezes em alguns episódios, 34 em outros. Seja lá como for, poderiam deixar o Chaves, pelo menos alguma vez, terminar sua declamação, né?

No próximo episódio: Chaves não queria plantar um pezinho de carambolas

11 comentários:

Gustavo disse...

Nunca tinha desconfiado que tinha essa diferença entre o poema (sse é que "O cão arrependido" é um poema...) original e a versão traduzida!

Está de mais essa série de posts sobre as traduções das piadas do Chaves! Todo o dia acesso seu blog esperando por mais um.

Abraços!

Rayanna disse...

Outro dia o CHesperito postou no twitter dele esse verso e eu notei a diferença, ai achei seu blog e então compreendi... Muito mais romântico em espanhol.!!

Gilson Vilela disse...

Parabéns pelo blog! Muito legal entender REALMENTE o que diziam os personagens do Chaves!

Anônimo disse...

Pra mim não tem nada a ver e pra mim isso tudo q tá escrito é besteira,e tem mais o Chaves só tá fazendo isso pra gente rir,c vcs não acharam graça o problema é d vcs o negócio é q eu achei então não ficam colocando minhoca na cabeça dos outros tá?!

Anônimo disse...

EU CONCORDO TOTALMENTE!!!!!

Marazzo disse...

Amo esse blog.

Aline Gross disse...

Gustavo, "O Cão Arrependido", literariamente falando, é sim um poema, visto que, embora seu conteúdo possa parecer para alguns um pouco fraco (vai da interpretação de cada um, né...)os versos possuem o formato de um poema.

Quanto à tradução do poema, é fato que as traduções às vezes deixam um pouco a desejar com relação ao sentido original do texto/fala (mais por diferenças linguísticas do que por incompetência dos profissionais da tradução), entretanto, neste caso, a tradução do episódio mais antigo (supõe-se, portanto, que tenha sido a primeira) me parece muito melhor de que a tradução mais nova: "Volta o cão arrependido, com suas orelhas tão ternas, com suas patas feridas e seu rabo entre as pernas." Percebe-se aqui que ternas mantém um sentido bem mais próximo do que usaríamos normalmente no Brasil (meigo) e rima com pernas. Praticamente o mesmo sentido do original...

Guilherme disse...

Sabe, nos episódios semelhantes que o Sbt está passando tem este episódio do vídeo, das apresentações, e o poema é recitado como ele realmente é no espanhol.

Ótimo Blog!

Cão arrependido disse...

Eu acabei de ver um episódio em que todos estão um pouco diferentes, e o poema do Chaves era "Volta o cão arrependido/ Com suas orelhas tão ternas/ Com as patas machucadas/ E o rabo entre as pernas." Ele diz que tinha de repetir 20 vezes (mas só deixam ele repetir três).

Fiquei bem invocada com as diferenças na aparência dos personagens: Chiquinha tinha os cabelos bem mais longos, e não usava o vestido verde e o casaco vermelho torcido nas costas. Quico também tinha o cabelo mais longo e a camisa mostrava um pouco mais o peito do ator, inclusive uma correntinha que ele usava. Seu Madruga usava uma camiseta preta bem menos surrada, pouca barba ou costeletas. E Dona Florinda estava sem bobs na cabeça, e o nariz dela estava muito (MUITO) diferente. Chaves usava uma camiseta listrada amarela e um chapéu diferente também, se não me engano. Ficamos por entender o porquê das diferenças, pois pegamos o episódio no final.

Mario disse...

Eu amo ver El Chavo del 8. Eu vejo isso com meus cães ao lado e todo mundo gosta. Eu planejo minhas viagens, dependendo do programa. amanhã eu tenho que ir comprar uma Caixa de Transporte Cachorro, mas eu vou sair quando o programa termina haha

Maxwell Aguiar Silva disse...

Volta o cão arrependido.
Com terno olhar de uma vida pacata.
Com seu focinho partido.
E com rabo entre as patas.

Acho que não houve um esforço muito grande em manter a originalidade.