segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Rapidinhas olímpicas (Os primeiros pódios)

Demorou quatro dias, mas finalmente o Brasil conseguiu suas primeiras medalhas em Pequim. Depois de ter ficado mal-acostumado com a chuva de ouro dos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro do ano passado, o torcedor nacional acabou achando que as Olimpíadas seriam barbada. Nada disso; agora é que o bicho pega.

Mesmo assim, os brasileiros conseguiram um resultado que eu mesmo não esperava (e quase ninguém, para falar a verdade). Veio no judô, com a desconhecida Ketleyn Quadros, a primeira mulher a conseguir uma medalha para o Brasil em um esporte individual. Pouco depois foi a vez do Leandro Guilheiro, apelidado de 'pipoqueiro' no ano passado depois dos fracassos no Pan (onde ele disse que iria apenas para treinar, todo arrogante) e no Mundial do Rio. O judoca da categoria leve repetiu a dose da Ket (bem melhor esse apelido), levou o bronze e calou a minha boca.

Méritos pra ele, claro. Agora, toda a mídia está em cima do Guilheiro e da Ket, eles não saem dos QGs da Globo e o judô está na moda no Sportv. Mas resta alguma dúvida de que o Brasil vai ganhar alguma medalha nos próximos dias e ninguém vai nem lembrar dos dois medalhistas de bronze? Aliás, alguém se lembra quem foi que ganhou o primeiro ouro brasileiro no Pan do Rio?

Seja lá como for, as duas primeiras medalhas do Brasil em 2008 foram de bronze. As menos valiosas e que, segundo muita gente, não serve para nada. Mas... sei lá. Não sei por que, mas acho que as medalhas de bronze têm um charme especial. Desde 96, quando vi a minha primeira Olimpíada na íntegra, não achava tão ruim assim o prêmio bronzeado.

Até comemorava, do alto dos meus oito anos, quando um brasileiro ganhava um bronze. Para mim, era muito mais legal do que a prata (que era tão... cinza). O bronze é legal, e serve para coroar atletas que ralam pra caramba, surpreendem e conseguem até subir no pódio. Mas, é claro, a medalha de bronze me lembra muito esta música do Ultraje a Rigor.

E, ao som de Terceiro (se você clicou no link acima e deixou o YouTube tocar), vamos às rapidinhas olímpicas do dia quatro dos Jogos de Pequim. Agora, só faltam mais 13 dias para a minha libertação.

Rapidinhas olímpicas:

Chana nelas: Que me desculpem aqueles que não gostam de trocadilhos, mas a melhor parte da seleção brasileira feminina de handebol é ela – a gloriosa, a simpática, a sensacional, a experiente e não tão bonita Chana. A goleira, claro. De longe, ela é a principal jogadora do time verde e amarelo. Se o time tivesse várias Chanas, com certeza não permitiria o empate por 28 a 28 no segundo final contra a Hungria. Ok, essa piada já é mais do que batida, mas não poderia faltar por aqui.

Dona Rose, o retorno: Uma das figurinhas carimbadas do esporte brasileiro é a Dona Rose, mãe do Thiago Pereira. Na falta de matéria para pôr no ar, tasca uma reportagem da tiazona mala se esgoelando na beira da piscina como louca para o filho bater perna na piscina (como se ele ouvisse, né?). Não sei se a Dona Rose foi para Pequim, mas vendo a primeira luta da Ketleyn Quadros, percebi que o espírito da mãe do nadador atingiu a xará Rosicléia Campos, técnica da equipe feminina brasileira de judô. Nos segundos finais da luta, e com a Ketleyn vencendo a sul-coreana por um yukô, só se ouviam os gritos de “Chão! Chão! Chão!!” da treinadora, quase emendando um funk na China. À 1 da matina de domingo para segunda, enche um pouco o saco.

Indústria cultural: Intervalo de um jogo de vôlei de praia. Eu, acompanhando do Brasil a um ou outro jogo, tive a honra de ouvir tocar na arena artificial chinesa os versos “O Terrassamba é assim/Swing, swing, pra você e pra mim”. Tudo bem que ouvi Gera-samba em várias lojas durante minha passagem por Buenos Aires, mas... ok, a Argentina é aqui do lado e tal. Mas isso chegou na China? Puuuutz! Saiu até na Folha hoje uma reportagem sobre a trilha sonora dos Jogos: vai de Beatles a Latino, passando por AC/DC, Blur, Guns n’ Roses e ‘Mamãe eu quero’. Uma zona, né?

Ah, o Sportv...: Não tenho mais Sportv aqui em casa já tem uns três aninhos, desde que deu a louca no meu pai e ele resolveu tirar a Net. Admito que sinto falta do Canal Campeão nas madrugadas insones, mas isso não tira o mérito de que, assim como o no Pan de 2007, eles estão optando pela mesma medida no mínimo questionável: eles têm quatro canais para a transmissão de Pequim-2008, uma coisa bem legal... Mas por que diabos interrompem a transmissão dos outros três canais para mostrar uma luta de judô ou uma prova de natação que já está passando em um dos canais? Poxa, se o cara tá em um canal vendo badminton, ele quer ver badminton. Se ele quisesse ver a prova de natação, teria deixado no canal da natação. Mas... vai entender, né?

Português: Pode ser o atleta que for, desde Kobe Bryant ou Ronaldinho Gaúcho ao levantador de peso do Arzebaijão, que a visibilidade é mundial em uma Olimpíada. O mundo inteiro vai acompanhar uma notícia diferente, coisa assim. E não foi diferente com o judoca português Pedro Dias, que eliminou o bicampeão mundial dos meio-leves João Derly. Ele já tinha a visibilidade necessária para voltar como herói para a terrinha, mas não: aproveitou o estrelato para 'humilhar' o brasileiro: "Uma vez, em São Paulo, fui às compras com a mãe dele e, mais tarde, soube que, enquanto isso, ele estava com a minha namorada. Fui traído. Mas não apenas o venci. O Derly foi humilhado por mim no tatame", vangloriou-se. Boa! E agora o mundo todo sabe que você é corno, ó portuga.

7 comentários:

marmota disse...

O primeiro ouro do Pan não foi o do Zé Pequeno, no Tá cum dô? :P

Enfim, o judô é uma espécie de "halley": as pessoas só lembram que ele existe quando é possível enxergá-lo (ou não) após uma elipse em torno de nossas cabeças.

Caroline Arice disse...

A piada da Chana vai ser a mais manjada da historia dessa olimpíada mais do que a clássica "nem aqui nem na China".

Lia Lupilo disse...

o primeiro ouro do pan foi no té cum dô mesmo (tb não sei escrever isso e não vou abrir outra pagina de pesquisa =P), do cara que parece o são jorge. esqueci o nome dele, mas lembreo de você, held, falando que todos esqueceriam. ahá! hahaha

beijos

Lia Lupilo disse...

duph, seu* jorge, não são

Boninha disse...

Nossa, eu tava tentando assistir a ginástica ontem, e toda hora vinha aquele quadrinho menor no canto inferior direito da tela, mostrando judô e natação, e até esgrima!! ;)

Daí o narrador ficava falando que no Sportv HD, ou seja lá como for que o treco se chame, "você acompanha os 4 canais ao mesmo tempo"!

Ainda bem que a tecnologia não chegou aqui em casa ainda...

Tiffany disse...

nem t(o acompanhando essas olímpiadas viu ;/

mas uma coisa eu concordo, Chana neles!

SAPDIHASDAHPHD ela é ótima vai!

Korba disse...

Relda profeta!!!

Cielo nelesss!!!! Hahahaha