quinta-feira, 22 de maio de 2008

Jogada de sorte

Chega um e-mail na redação:

De: MA 51, brlf@hotmail.com

“Essa quarta vespera de feriado o atacante kleber do palmeiras foi visto na casa noturna cabaret arrumando briga com um grupo de amigos que no final da festa foram cobrar e houve mais briga, entao ele entrou no carro, deu a volta no quarteirão e voltou atropelando esse grupo de rapazes que se feriram alguns com gravidade. eh verdade essa historia se quiserem checar procurem nas delegacias B.O. ou entrada no hospital sirio libanes que verao como eh veridica a historia. meu email nao esta correto”

Levantei e logo comentei com o Pierre, editor de plantão em pleno feriado assim como eu. “Cara, olha o e-mail que chegou aqui, que viagem”. Li o relato e logo completei. “Algum outro site já deu isso daí?”. “Humm, não, não vi nada”. “Estranho, né? Mas beleza, vou atrás disso aqui”, respondi, com um misto de incredulidade por tal mensagem absurda e uma ansiedade ligeiramente grande.

Entrei no site do tal Cabaret, peguei o endereço e saí em busca de telefones de delegacias na região da casa noturna. Após algumas ligações, uma confirmação. “Olha, tem o Boletim de Ocorrência (B.O.) aqui sim, mas quem pode te passar todas as informações é a Secretaria de Segurança Pública (SSP/SP)”, disse o investigador.

Liguei para a SSP e lá falei com a simpática assessora de imprensa, que prometeu me retornar a chamada assim que o B.O. estivesse concluído. É claro que a minha ansiedade ficou ainda maior: passei a monitorar todos os sites concorrentes, com medo de que algum desse a notícia antes de mim. Contatei novamente a assessora de imprensa dez eternos minutos depois da primeira ligação e ela foi compassiva: “Eu prometo que te ligo assim que o boletim ficar pronto”.

Dito e feito: minutos depois meu celular tocou e a assessora de imprensa me ditou tintim por tintim do que fora relatado no B.O. Fiz a matéria rapidamente, coloquei no ar e... pronto. Toda a expectativa e o medo de tomar um furo se esvaíram quando a nota foi para a manchete do site e, abaixo do título, a assinatura Felipe Held, especial para a Gazeta Esportiva.Net.

Após alguns instantes, minha notícia foi lida ao vivo na Jovem Pan, que deu os devidos créditos. Nosso concorrente, no entanto, não seguiu a mesma linha e escreveu uma notícia com as informações ‘exclusivas’ que eu havia conseguido (mais ou menos, pois boletins de ocorrência são de domínio público), mas sem dar os créditos. Acontece.

Passada a catarse profissional, fui comemorar comigo mesmo a conquista inesperada em pleno feriado. Coloquei-a também no grupo das mais importantes que já fiz até hoje, ao lado das entrevistas exclusivas com Doni, Mika Hakkinen e Ricardo Navajas. A semelhança entre elas? Todas vieram por acaso, em algum lance da mais pura sorte.

Só fiquei um pouco ‘chateado’ por um motivo: não pude agradecer à fonte anônima que levantou a bola para que eu cortasse com a notícia. Fica aqui, então, meu mais sincero muito obrigado, MA 51, cujo e-mail não é brlf@hotmail.com ... te devo um chope, cara! haha.

3 comentários:

Fábio disse...

Parabéns pelo furo, cara! E esse Kléber sempre foi meio marginalzinho, desde os tempos de São Paulo, hehehe.

E, pô, o site da ESPN Brasil foi o SEGUNDO a dar a notícia! Porque as notícias que caem aqui em nosso sistema são da Gazeta, hehehehe. Valeu! E parabéns, mais uma vez.

Lui disse...

Tinha que ser palmeirense, né...

Lucas Sampaio disse...

Acesso o Gazeta Esportiva todos os dias para ler as notícias do meu São Paulo, mas li sobre a confusão do Kléber no site do Globo Esporte.

Parabéns pelo furo (quem faz jornalismo sabe o quanto é profissionalmente importante um furo) e pela quantidade de informações e detalhes na matéria. Uma ótima maneira de dar uma esquentada no plantão do feriado!

Aproveito o comentário para te dar os parabéns pelo blogue. Apesar de bem pessoal, é muito interessante e com um texto bem fluído. Parabéns!