segunda-feira, 26 de maio de 2008

Eternizando 26 de maio

Nunca tive muitos motivos para fazer de maio um mês fundamental para o meu ano e, pelo que me lembre, nunca aconteceu nada lá de muito relevante para que algum dia fosse eternizado. Mas o dia 26, inevitavelmente, vai ser difícil de passar em branco nos próximos anos.

Por mais que não pareça, 26 de maio é um dia relativamente importante para a história mundial. Em 1805, por exemplo, Napoleão Bonaparte se autoproclamou Rei da Itália. Na mesma data, mas 23 anos depois, um moleque esquisito de nome Kaspar Hauser, que mesmo com 14 anos mal conseguia falar, foi encontrado nas ruas de Nuremberg, na Alemanha. Em 26 de maio de 1889, Paris viu a inauguração do primeiro elevador da Torre Eiffel.

O 146º dia de um ano normal (ou 147º de um bissexto) também ganhou destaque na geopolítica do século 20. Em 1918 foi proclamada a república na Geórgia, pequeno país do Leste Europeu que durante oito séculos viveu sob regime monárquico. No ano de 1966 foi a vez de a Guiana se tornar independente da Grã-Bretanha.

Ainda no século 20, ganha destaque também o 26 de maio de 1986, é claro. Foi nesse dia em que a Comunidade Européia chegou a um acordo sobre a bandeira do Velho Continente – hoje, da União Européia. Aquela coisa azul cheia de estrelinhas.

Mas não será nenhum desses dias 26 de maio que vão me fazer lembrar de alguma coisa, e sim o de 2008. E eu explico por quê: foi neste dia que liguei o computador por volta das 12 horas e vi estampada na capa do site aquela que, antes mesmo de nascer, eu achava que seria a ‘matéria mais importante da minha carreira até então’. Claro, meu ego profissional foi às alturas.

Guga sai de cena: e o tênis brasileiro, onde fica?, é o título da saga à qual me dediquei durante duas semanas e meia, bolando pautas, pensando em entrevistados e, o mais difícil: por onde começar (após a publicação, no entanto, imaginei um título melhor: Guga pára: e o tênis brasileiro, para onde vai? Mas já era tarde demais).

Tive algumas (muitas, até) desventuras ao longo dos últimos dias: não consegui entrevistar Guga ou Larri Passos e nem alguns outros tenistas que estavam disputando torneios mundo afora. Perdi preciosas horas de sono e dois almoços com a mamãe, fui ‘obrigado’ a recusar uma balada, praticamente não tinha tempo para ler um blog sequer, sofri de um cansaço mental enorme...

... mas está lá. Todas aquelas horas de decupagem de entrevistas, os 30 mil caracteres de declarações e algumas horas de pesquisas renderam 16 páginas de matérias, divididas em cinco retrancas e, ainda, em uma entrevista exclusiva com Thomaz Bellucci (que, para o fim da curiosidade do Fábio, responde o que fora perguntado aqui).

Cheguei a me questionar, e também à juuuliana, se alguém leria tanta coisa. A resposta veio pouco tempo depois de a matéria ir para o ar, e do outro lado do Atlântico: o Lucas Sampaio, estudante de jornalismo que atualmente está em Portugal, rasgou elogios à reportagem. É bom ter reconhecimento.

E, finda a saga, deixo aqui de forma singela alguns obrigados: Carol Canossa, por ter indiretamente sugerido que eu bolasse uma reportagem especial e ainda enfrentou pessoas perigosas do mundo jornalístico por mim; aos assessores de imprensa de CBT, Comcept e Gallas, que conseguiram contatos e marcaram entrevistas para a especial; aos ex-tenistas Fernando Meligeni, Chico Costa e Thomaz Koch, que me concederam excelentes entrevistas; e, também, ao Tio Raul, que não vai ler isso aqui, sobretudo depois de ler toda a reportagem em pleno domingão à noite antes de publicá-la.

Por incrível que pareça, o 26 de maio de 2008 foi mais interessante do que eu achei que poderia ser. Comemoremos! E com uma garrafa de vinho caro na minha próxima folga, haha.

6 comentários:

Alemão disse...

Cheguei na reportagem do Guga por acidente, procurando pelos patrocínios da Sharapova.

Entrei lá e li duas das cinco/seis matérias.

"Legal, quem escreveu, tá no GE..."

HELDIIIIINHA!
Além de Gattuso e camisa 10, um poeta.

Fábio disse...

Excelente reportagem mesmo, cara! Parabéns, mais uma vez.

E hoje cheguei às 6h por causa de Roland Garros e... A chuva atrasou tudo! Que beleeeeeeeeeeeeza!

Sorte do Thomaz Belucci, né? Vai poder aproveitar Paris por mais algumas horas, hehehe...

juliana moura disse...

te falei que iam ler. e vão ler muito mais ainda.

Mari disse...

Puxa Held, que legal! Meus parabéns pela matéria... Acompanho pouco tênis e tal (o suficiente pra saber quem é o Guga hehehe), mas achei uma beleza a sua série :)

Thiago Bronzatto disse...

Olha só!
Se não é o meu herói dando furo!hehehe. E a profecia se cumpre:
"Sem dúvidas, uma das mais primorosas aquisições da Cásper. Além de ser um cronista nato para os momentos 'out of fuel', o 'relvinha' é um dos grandes nomes do panteão da Gazeta Esportiva. No futebol, ele é uma mistura divina de Gatuzzo e Edmundo. Já no amor, bem, vejamos, o nosso herói metido a fidalgo D. Quijote nunca perdeu um truco sequer, ao contrário, sempre sai com o casal maior nas mãos. Obrigado por ser meu confessionário, cúmplice, amor à primeira vista, sobretudo. Vc é um amigo para a vida inteira, certamente!"
Se bem que, vá lá, a história do amor está mudando...hehe
Saudade!
Abração

Lucas Sampaio disse...

Pô, cara, valeu por ter me citado no blog! Realmente achei muito boa sua reportagem (as entrevistas com Meligeni, Chico Costa e Koch deram realmente a impressão de terem sido ótimas) e o post que fiz sobre ela foi muito merecido! Tanto gostei que voltei aqui para me interar sobre as novidades.

Quanto ao teu post, acho que o Wikipédia deve ter te dado uma boa ajuda para dizer tudo o que aconteceu em outros 26 de maios passados. Espero que haja outros dias como este no teu futuro!

Acho que você não chegou a ler o comentário que fiz no post em que o Fábio perguntou quem era o entrevistado "do sudoeste da França" antes de você criar este, mas acertei! Gostei tanto do blog que li uma boa parte do arquivo e comentei mais de um post passado.

Espero que você continue a fazer boas reportagens especiais como esta, que eu pretendo continuar visitando teu blog sempre. Abs e bom final de semana!

PS: o Bellucci jogou muito, dentro do possível dele, contra o Nadal. Esse moleque promete.