segunda-feira, 16 de outubro de 2006

Uma vida [mais ou menos] regrada

Pela primeira vez em muito tempo, Álecs acordou cedo. Por livre e espontânea vontade. Sempre gostara disso, de curtir o dia por inteiro em vez de acordar ao meio-dia e viver desnorteado.

Às 8h30, Álecs abriu seus glazis e, em seguida, empurrou para o lado a janela de seu quarto e pôde ver um sol meio tímido, que preferia se esconder atrás das nuvens. Ligou a tevê, procurou por um programa interessante. Deu graças a Bog por a chuva começar e o dia ficar mais animado. Então deixou a janela aberta, ficou vendo a água cair solta e colocou algumas músicas para tocar. As músicas da velha banda a rigor que serve de trilha sonora no fim de ano.

Álecs fez a barba, tomou banho, reacertou a barba, deitou em sua cama e voltou a ler o livro. Foi para a faculdade mais cedo - decidiu enfim chegar no horário. Pegou o metrô mais lotado e leu o livro. Chegou na sala vazia e leu o livro. Começou a aula maçante e leu mais o livro.

Quando finalmente voltou para casa, viu que estava na página 174 e o livro já estava no final. Depois de um dia sem muito o que fazer - as mesmas decepções de sempre, ó, druguis -, sentou-se e se pôs a escrever.

Pensou, observou, analisou, concluiu. Quando foi escrever; ar ar ar.
Repensou, reobservou, reanalisou, reconcluiu. Ar ar ar.

Ar ar ar.
Ar, ar, ar.

Nada.

2 comentários:

Bru disse...

E no fim das contas consegui entrar em seu blog!
E que bela surpresa!
Adorei-o !!!
Prometo que farei de tudo para ser um frequentador assíduo!

Abraço!

Sheyla disse...

E esses fragmentos de "língua estranha"?