quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Eufemismos para uma vida saudável

A coisa que mais vem enchendo o saco em todas as coisas de auto-ajuda ou qualquer discussão de relacionamento é a sinceridade. Todo mundo quer que o outro seja sincero. E, cá entre nós, isso é impossível. Quer dizer, ou você é sincero ao quadrado ou você evita uma guerra civil por dia. Ou duas.

No entanto, eu prefiro ser sincero. E aí é que entra em jogo o eufemismo. Eu sou sincero, tal, mas a sinceridade pode ser suavizada. Segundo a Wikipedia [que vai ser, em breve, - ou que já está sendo, não sei – o maior terror de todos os professores em trabalhos escolares], essa droga toda significa uma figura de estilo que consiste em suavizar a expressão de uma ideia modesta, substituindo o termo contundente por palavras ou circunlocuções menos desagradáveis ou mais polidas.

Seja lá o que for, é o que vem fazendo parte do meu cotidiano. Eu explico. Empiricamente, com alguns exemplos do meu dia de hoje:
-x-

Situação I

Uso: Seus amigos perguntam em quem você vai votar.

Eufemismo: Ah, não sei. Tô em dúvida. Mas de uma coisa eu tenho certeza: anular eu não vou.

Tecla SAP: Então, eu vou votar no Lula. No PT, sabe? Vou acordar no domingo e vou falar 'É Lula de novo, com a força do povo!'.

Explicação Lógica: Sinceramente, não dá pra ter alguma dúvida entre Alckmin e Lula. Eles são completamente – e teoricamente – opostos!

É a mesma coisa que você dizer, por exemplo, que não sabe se vai torcer pra Palmeiras ou Corinthians, e não quer que o jogo empate. No fundo, ela tem uma preferência.

Mas tudo bem, é aceitável esse eufemismo. Já pensou se a outra pessoa é daquelas pessoas que, quando o assunto é política, se transformam em um Edir Macedo e sentam o pau em tudo do mundo? E também que, em tempos de hoje, votar no Lula não é uma decisão lá muito acertada.

Mas o eufemismo é bom. Eu faço uso dele todos os dias. Porque, sim, eu vou votar no Lulalá.
-x-

Situação II

Uso: Salas de aula, em geral.

Eufemismo: [x] (a pessoa simplesmente não fala nada)

Tecla SAP: "Tem alguma coisa errada entre a gente, tá faltando comunicação. É, eu sei. E a falha vem daí pra cá. Eu não vou falar nada pra depois ser acusado de chato, chiclé ou coisa que o valha. Mas acho que a gente tem que conversar. O mais rápido possível."

Explicação Lógica: O cara é um perfeito panaca e não pode fazer muita coisa. Além de tudo, é orgulhoso para chegar nas suas melhores amizades [que duram 15 dias, se muito] e falar que precisa de alguém para conversar. Ou que a amizade não tá tão amizade assim [seja lá os motivos relacionados], e é preciso conversar.

Mas ele é um panaca. E faz do silêncio um eufemismo. É o melhor que ele faz. Depois vão e falam que ele é um fresco e tudo mais. Coitado.

-x-

Situação III

Uso: Seu time está brigando para fugir do rebaixamento e enfrenta o seu maior rival, na mesma situação. Você tem porque tem que ver esse jogo. Para isso, tem que deixar a faculdade mais cedo, mas a presença na aula perdida é fundamental.

Eufemismo: Professor, eu tenho um compromisso inadiável. Não vai dar pra ficar na aula hoje, e eu tô meio assim nas faltas da aula do senhor. Eu queria muito, muito ver a sua aula, mas é que não vai dar mesmo. Desculpa.

Tecla SAP: O Verdão vai jogar, cara, e eu tenho que ver esse jogo. Descola a presença aí, vai, não te custa nada! Quebra essa, professor!

Explicação Lógica: Você tem que ver o jogo, porra!

-x-

Situação IV

Uso: Situação III. O seu time perde por 1 a 0, é ultrapassado pelo rival e, agora, beira a zona do rebaixamento. Além de tudo por que você passou para ver o jogo, a partida foi uma bosta. Seu tima não fez porra nenhuma e você perdeu duas horas de sono.

Eufemismo: Eh...

Tecla SAP: Bando de filhos da puta! Vai tomar no cu, caralho, que bando de filhos da puta! Enfia a bola no cu, arrombados de merda! Até minha avó perneta jogaria melhor do que vocês, cacete, vai tomar no cu! No cu, filho da puta! Filho da puta, filho da puta,...

Explicação Lógica: Você é um cidadão, não fica falando palavras feias assim, ao vento. Se você pelo menos estivesse frente a frente com os jogadores do time, vá lá...

-x-

Situação V

Uso: Situação IV. Ao voltar para casa, moleques de rua - e com cara de trombadinhas - te abordam no metrô e pedem algum trocado.

Eufemismo: Tô voltando pra casa, brother, valeu.

Tecla SAP: Porra, vai tomar no cu! Eu passei o dia todo fora de casa, trabalhando, e depois fui ver a merda do jogo da bosta do meu time. Tô nervoso e você ainda vem me pedir dinheiro? Vai trabalhar, vagabundo!

Explicação Lógica: Você está cansado e com dor de cabeça, não quer discutir. É melhor chegar em casa logo e dormir...

-x-

Situação VI

Uso: Situações II, III, IV e V

Eufemismo: este post

Tecla SAP: Puta que pariu, que dia de merda!

Explicação Lógica: Falta de criatividade e tudo mais.

-x-

Enfim, você percebeu a necessidade dos eufemismos na vida de um cidadão de bem. De um herói. Ele é sincero, não mente pros pedintes e muito menos para suas amizades intensas e com prazo de validade curto.

Sim, um herói. Imagine quantos conflitos não foram evitados assim! E quantos não seriam evitados se todo mundo pensasse assim?

Ah...

2 comentários:

Bru disse...

Lula é o caralho!
Alckmin na cabeça!!!

Fora com os populistas analfabetos!!!

E o Palestra perdeu, mas o Diego Cavalieri está me deixando com cada vez menos saudades do São Marcos...
Viva o São Diego!!!!

Sheyla disse...

Eu gosto de eufemismo, sou adepta deles. Não que, no meu caso, eles evitem muitas brigas...

Conversando pouco, oras. =/