segunda-feira, 7 de abril de 2008

Psicologia no volante

Aprendendo a dirigir, sessão dois. Sábado, comecinho da noite. Mais uma vez, uma besta ao volante – agora no carro da mamãe – e o instrutor no banco do passageiro.

Tudo levava a crer que seriam duas horas relativamente normais, com uma morridinha aqui, uma buzinadinha ali, um errinho de marcha acolá... mas não imaginei que a aula me reservaria um momento, digamos, inesperado: algo semelhante a uma sessão de terapia com um psicólogo.

Estava em um carro com freios ABS. Acostumado ao freio sabe-se lá qual do carro da auto-escola, comecei a ter alguns probleminhas com a adaptação. Bastava uma pisadinha no pedal do meio para o carro parar com tudo e ativar o cinto de segurança. Mas com o tempo eu fui dosando o pé. Ou pelo menos eu achava.

Na movimentada Avenida Indianópolis, o semáforo mudou para o vermelho e os carros à minha frente começaram a parar. Fui reduzindo a velocidade aos poucos e passei a ouvir o instrutor ao meu lado: “freia mais, freia mais.... freia mais!”. Chegando a uma distância calculada do carro da frente, parei perfeitamente. Mas não ganhei elogios.

“O freio é ABS, mas você tem que frear antes, viu?”, recomendou o instrutor.
“Ah, é?”, contestei.
“Sim. Você ta confiando muito nos freios. Eles estão funcionando bem, mas não pode confiar tanto assim. É só a primeira vez que você pega esse carro”.
“Hum... ah, beleza”.

O semáforo abriu. Taquei a primeira, saí com o carro e fui. O instrutor, então, pediu a palavra.

“Cara, posso te fazer uma pergunta?”
“Claro, cara”.
“Percebi que você dirige meio que parecido ao seu jeito de pensar. Você costuma confiar assim nas pessoas, logo de cara, apenas porque ela te passou uma segurança um pouco maior?”.
“Hum, eh... sim”.
“Conselho de amigo: já te falaram que isso não é muito bom?”.
“Sim. Humpf”.

4 comentários:

Lui disse...

Hahahahahaha, adorei isso!

Mané disse...

Hahahahaha!

O instrutor é um gênio!

Fábio disse...

Hahahahaha, pô, o meu instrutor era um chatão! O seu parece mó legal!

E eu também fiz várias aulas na auto-escola na Indianópolis.

Fique tranqüilo: você vai tirar a carta de motorista sem saber dirigir bulhufas. Depois, com o tempo e o sufoco no trânsito da vida real, você acaba aprendendo.

:)

Aliás, uma pergunta: você tem certeza de que quer aprender a dirigir? São Paulo tá um caos!!!

Alemão disse...

fica sussa, a minha auto-escola também era um divã.

só que eu inventava coisa pra cacete.