terça-feira, 1 de abril de 2008

O dia em que eu mudei de nome

Se tem algum momento do dia em que eu sou mais facilmente manipulável do que o normal, esse momento acontece nas primeiras horas de um dia em que eu acordo cedo.

É quando eu aceito fazer as coisas que menos quero, é quando os primeiros pensamentos após acordar retumbam mais na minha cabeça do que o normal e atormentam um pouco mais as horas seguintes...

Talvez porque a minha sensibilidade esteja um pouco mais aguçada... sei lá. Resumindo, as coisas que acontecem logo cedo soam diferente para mim.

E justamente num dia desses de manhã eu ainda andava assim, meio sei lá pela Paulista. Estava frio, eu não tinha dormido muito na noite passada, estava atravessando a rua com um copão de café na mão e não estava com os fones de ouvido encaixados no ouvido.

Ouvi um chamado:

“Pepe!”

Dei mais dois passos e voltei a ouvir o chamado.

“Pepeeee!”.

Pensei em complementar: “Já tirei a vela!” no melhor estilo Chapolin Colorado. Mas fiquei quieto e dei mais um passo. E ouvi mais um chamado.

“Pepe! Ô, Pepe!”.

Olhei para o lado. Um cara dentro de um táxi acenava para mim. “Por favor, onde fica a rua fulano de tal?”. Dei a informação rapidamente, coloquei os fones no ouvido e segui para o trabalho.

Uma sensação diferente me incomodava, mas mesmo assim bati o ponto, cumprimentei os demais madrugadores do jornalismo esportivo brasileiro e me sentei na frente do computador como sempre.

Liguei meu velho computador, coloquei lenha, li alguns e-mails, respondi outros... tudo normal até aí. Então fiz a minha primeira notícia do dia e estranhei quando vi entre parênteses, no campo do autor da notícia, exatamente isso: (felipe)

Parei uns dois, três minutos para refletir. “É verdade, meu nome é Felipe e não Pepe! Putz, que mula!”. Mas essa confusão tinha um porquê: o cara do táxi não era o primeiro a me chamar de Pepe no espaço de um mês.

A conclusão disso tudo? Talvez meu nome seja Pepe não por opção própria, mas por maioria de votos.

Nota do autor: Não, este não foi um post estilo 1º de abril

6 comentários:

Fla disse...

Caramba!
Agora fiquei intrigada!

Será que o cara te achou parecido com o P.?
Ou era algum amigo meu?

Que esquisito!

Beijos, Fê!

Lui disse...

Ah, quanta honra ser citada em um post do meu amigo Pepe, hahaha...adorei!

E cara, que maravilha seu mês de março. Viu o Zidane, conversou com o pai, curtiu uma paixonite...não quer passar um pouco dos seus bons ventos pra mim, não? Meu março foi uma droga, meu abril não promete melhorar...

Beeeeeeijos!

Fábio disse...

Boa, Pepe!

Allan Brito disse...

Vlw por avisar no final, Pepe...

Li o texto td achando q era pegadinha do Mallandro, ráááá!!!

huahuahuahua...

Abs!!!

Alemão disse...

Joaquim!
Joaquim!

Ah, droga.

Mané disse...

Agora é assim? A gente te chama do que quiser?

Vou chamar de Pepe mesmo e pronto!