sexta-feira, 25 de abril de 2008

Auto-conhecimento

Primeira vez que daria carona para alguém. Como previamente combinado, deixaria uma amiga sã e salva na porta de sua casa depois da aula na faculdade.

Tá, não vou negar que senti uma responsabilidade maior quando dei a partida e liguei os faróis. Mesmo assim, respirei fundo, liguei o toca CD e deixei todas as preocupações de lado. O trânsito, e sobretudo a integridade física da amiga, eram prioridade.

Tudo correu dentro dos conformes e chegamos inteiros à sua casa. Depois de nos despedirmos até o dia seguinte, no entanto, fiz a pergunta que mais me amedrontava naquele momento: “Como eu faço pra sair daqui agora?”. Ela foi bem didática: “Vira aqui na primeira esquerda e vai reto, até não dar mais mão. Aí você vira de novo à esquerda, segue reto a vida toda até cair num posto, e aí você vira à direita e já vai se encontrar”. “Ok”.

Tinha a certeza de que iria me perder, mas ainda assim decidi arriscar em uma sorte melhor para mim. Só que, ao virar à esquerda, achei que logo o primeiro quarteirão já não dava mais mão e voltei a contornar à esquerda. Depois fui reto a vida toda e cheguei a uma ladeira.

“Ué, acho que nunca passei por essa rua para chegar em casa... acho que tô fazendo merda, mas vamos lá”, pensei, enquanto ouvia o futebol no rádio. Até que a ladeira acabou e eu me vi no meio da favela.

“Toma, trouxa, eu bem que avisei!”, retrucou uma voz sábia dentro de mim.

Odeio essa voz sábia, com um tom até que pessimista: ela sempre acerta.

3 comentários:

Alemão disse...

Foda mesmo é se perder.
Acontece comigo regularmente.

Eu sou um homem "bem-encaminhado", mas se saiu muito do mue caminho, com certeza eu tô perdido.

O mais legal de descobrir que você tá perdido, principalmente nesses lugares e de madrugada, não é o "Toma, trouxa"

É o "E agora, filha da puta, coméquieusaiodaqui?"

juliana moura disse...

logo que me mudei pra porto alegre, meu pai e eu saímos de carro para conhecer a cidade... óbvio que nos perdemos. e fomos parar dentro de uma favela. e o carro atolou. heh

prefiro nem lembrar do resto. :O

Fábio disse...

Hahahaha, confesso que sou O perdido quando ando por SP.

Na verdade, sei bem aquela meia dúzia de caminhos dos lugares básicos que atendem às minhas necessidades - mas quando a coisa foge um pouco do trivial, tô fudido.

Enfim, uma merda. Mas faz parte, né? O negócio é já deixar, de antemão, os amigos avisados de que a viagem pode demorar mais que o previsto, hehehe...