quarta-feira, 23 de abril de 2008

Fragmento de e-mail

Decidi fazer a limpeza de alguns e-mails antigos que estavam mofando na minha caixa de entradas. Acabei encontrando um que tinha escrito a uma amiga, hoje distante e com quem não me encontro há pelo menos um ano e meio.

Na mensagem enviada, nos idos de algum ano no passado, havia um anexo. Abri o arquivo incluso e me deparei com o relato de uma antiga paixonitezinha. Li tudo o que eu havia escrito, do início ao fim. E decidi destacar essa parte, editada antes de ser publicada.

Detalhe: o texto original (que conta apenas metade do meu caso amoroso) tem um total exato de 36.333 caracteres (ou seja, mais de dez páginas). E pensar que a destinatária deste e-mail, que adorava saber das minhas paixões, leu tudo do início ao fim.

--

“Falei no intervalo com uma amiga dela, que me perguntou se você tá a fim da Marina (nome fictício)”, contou o meu amigo. “Respondi que não sabia de nada, mas pedi para a amiga ver se rolaria alguma coisa entre vocês. Parece meio criança isso, fiz mal?”.

“Não”, respondi. E de fato ele não fizera mal: aquela tinha sido uma das melhores notícias que havia recebido nos últimos meses. Não pelo fato de uma garota ter ido ver com a Marina se rolaria alguma entre nós dois, mas gostei porque simplesmente aquela já era a segunda amiga que se interessava pela minha suposta paixonite pela tal da Marina.

Será que a Marina estava mesmo querendo alguma coisa comigo? Será que alguma coisa estaria acontecendo? Será que... ?

Difícil falar, Rê. Difícil, porque simplesmente não sei lidar muito bem com isso. Além de muito tímido, sempre fui muito inseguro ao me apaixonar. Talvez por isso jamais tenha namorado uma garota por quem me apaixonei platonicamente.

Mas... quer saber? Mesmo que mais uma vez não dê certo, é muito bom passar por isso novamente. Ter frios na barriga, acessos de insegurança... é muito bom ir dormir pensando em alguém, e melhor ainda quando se sonha com ela.

É muito bom imaginar como será a nossa vida daqui a cinco anos. É muito bom pensar em viajar com ela para a Europa se um dia começarmos a namorar.

Quando você percebe que está apaixonado, o mundo tem outra cara, sabe? No dia seguinte a perceber que o sentimento por uma garota é algo especial, tudo parece ser diferente.

É estranho. Assim que liga o tocador de MP3 em uma música um pouco mais animada, olha-se no espelho e dá um sorriso sem explicação. E, logo depois, uma gargalhada. Poderia ser apenas um reflexo do sono – hipótese deixada de lado depois de você descer as escadas dançando no ritmo da música.

Para não ter que dançar no meio da rua, apenas ergue a cabeça, abre o peito e encara a vida. E um leve formigamento passa pelo seu nariz: apesar da rinite e do desvio de septo combinados, você está respirando pelas duas narinas (algo que nunca acontece, a não ser que os remédios que viciam, como Aturgyl, sejam acionados). Respirar pelas duas narinas é legal.

Enfim. Até que é legal achar que está apaixonado.

6 comentários:

Alemão disse...

36.333 caracteres.

Eu não consigo nem tirar um poeminha de 150.

Não gosto mais (tanto) de escrever sobre o que eu sinto, ou o que anda acontecendo nos corredores e células de trabalho do meu pedaço de cérebro que cuida das paixonites.

Tá, só quando eu fico nervoso.

Mas vai ter criatividade assim lá na casa do chapéu.

Alemão disse...

36.333 caracteres.

Eu não consigo nem tirar um poeminha de 150.

Não gosto mais (tanto) de escrever sobre o que eu sinto, ou o que anda acontecendo nos corredores e células de trabalho do meu pedaço de cérebro que cuida das paixonites.

Tá, só quando eu fico nervoso.

Mas vai ter criatividade assim lá na casa do chapéu.

Mari disse...

Olha, vou ter que concordar com a última frase... Sempre quis ter certeza. Mas tudo que é mto certo costuma ser/ficar chato :)

Fábio disse...

Impressão minha ou você está numa fase meio "revival"?, hehehe...

Eu adoro fases "revival" também. Vivo passando por elas!

juliana moura disse...

fechou o texto precisamente.

é muito bom pensar que está apaixonado, melhor até do que estar apaixonado efetivamente. não tenho dúvidas.

Bruno disse...

Estranho como a cada dia que passa, ao ler o seu blog, fico rindo feito bobo em frente ao pc como se eu mesmo tivesse escrito estes textos.

Entro aqui quase todo dia, quando consigo um tempinho no trampo ou logo apos chegar em casa apos a facul. Posso dizer que sou seu fã - até vibrei quando você "apareceu" no Bandsport, mesmo assistindo pelo youtube hehe.

PS: Enfim, é estranho aparecer aqui do nada e dizer isso, mas entro aqui no seu blog desde o inicio do ano passado, apos ter te encontrado em algumas comunidades da Casper ( durante minha nóia frustrada de ingressar por lá ).
Os textos que escreve retratam mais ou menos a minha vida, narrada em 3 pessoa haha
Estranho isso.

Vou ser mais intrometido lhe pedindo seu msn. Se nao quiser passar nao tem problema.

Abraço e sucesso pois vc merece

Bruno