terça-feira, 23 de setembro de 2008

Você

Você me faz ficar muito mais confiante do que eu sempre fui. Me faz andar pela rua, mesmo em uma segunda-feira, com um sorrisão estampado no rosto (e daí que eu não vou ter folga nos próximos 11 dias se eu te vi ontem?).

Você me faz dormir muito, muito tarde. Me faz também gostar de acordar cedo, para aproveitar mais a minha vida com você. Me faz gostar de ir dormir para poder sonhar com você, mas também me faz não dormir tanto para não sonhar você, e sim viver você.

Você... ah, você me faz esquecer o meu trabalho mesmo quando o mundo está prestes a acabar. Me faz cumprimentar todo mundo por aí, mesmo aquelas pessoas de quem eu não gosto. Me faz andar por aí prestando atenção em tudo, até mesmo nos menores detalhes da vida, para poder ter uma história legal para você.

Você me faz querer arranjar algum motivo irrelevante para brigar com você. Me faz querer ficar daquele jeito emburrado só pra ganhar confete. Me faz querer ser seco com você para te ver arranjar alguma coisa bonitinha para me fazer confessar um sorriso enorme e ficar sem palavras – mas não mais seco.

Você me faz acreditar que eu fico bem de barba, sem barba, com costeletas, cavanhaque ou com a barba por fazer. Me faz acreditar que meu cabelo fica bom tanto curto como comprido. Me faz acreditar que meu sorriso vale o mundo. Me faz acreditar que eu posso conquistar qualquer garota do mundo, mas me faz querer dispensá-las apenas para ficar com você.

Você me faz querer sonhar o próximo dia, o próximo mês, o próximo ano. Me faz querer ter logo 41 anos, para que eu possa dizer por aí que conheço você por mais da metade da minha vida. Me faz querer dizer por aí que você foi o que de melhor me aconteceu nos últimos 20 anos.

Você me faz querer chegar logo aos 64 anos de idade para poder viver When I’m sixty-four. Me faz querer, já meio calvo e gagá, levantar com dificuldade da minha poltrona para trocar um fusível quando ficarmos sem luz em casa. Me faz querer vestir um casaco de lã que você tricotou para sairmos a um passeio em um domingo.

Você me faz querer mesmo envelhecer 44 anos em um dia. Me faz ter vontade de te levar para uma cabana com nossos netos, que não te deixarão por um minuto e ficarão no teu colo o dia inteiro. Me faz esperar um cartão de Dia dos Namorados, assinado ‘da sua velha’.

Você me faz um bem danado, já te disse isso?

Você não existe.

E uma pena que não exista literalmente falando.

7 comentários:

paula r. disse...

vai existir, babe. você vai ver.

Boninha disse...

Ounn *-*

Boninha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fábio disse...

Já encontrei a "minha velha". E você ainda é muito novo, rapaz! Vai encontrar a tua também, ué!

fanfarronice disse...

vc postou esse texto dias atras e tirou né? hahah

foda.... sinto a mesma coisa
dizem q toda panela tem sua tampa ...
um dia ela vem pra nós ( uma pra mim e outra pra vc. temos que ser egoístas ao falar disso!) hahahaha

abraços

Aline disse...

Por isso que eu invento ;) A realidade nada mais é do que um grande desejo inventado.

E as nossas conversas por comentários são ótimas, haha

Dayane Abreu disse...

Tanta inspiração pra alguém que não existe? É claro que ela existe, só não apareceu ainda. E 44 anos ainda é tão pouco...