segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Papo cabeça

Mal se conheciam, mas tinham visto o mesmo filme instantes atrás. Tinham até sentado lado a lado no cinema, mas não haviam trocado um A sequer durante a projeção.

Saíram da sala sem falarem um com o outro, entraram no mesmo banheiro, utilizaram mictórios distantes (ambos conheciam a lei da zona do respingo), lavaram as mãos em pias vizinhas e saíram quase ao mesmo tempo.

Aqueles caras nem sabiam o nome um do outro – saber até sabiam, mas não se lembravam. Estavam ali apenas porque cada qual havia saído com sua garota, que eram amigas entre si e naquele exato momento também estavam no banheiro (feminino, claro).

Até que um deles achou melhor quebrar o gelo enquanto esperavam. Segue o relato, testemunhado por alguém que passava ali por perto naquele momento.

- Putz, esses secadores de mão são uma merda.
- É, pode crer.

- Você fica lá um puta tempo esfregando uma mão na outra e nada.
- É, ela continua molhada.

- Prefiro o papel, é muito mais eficiente.
- Eu também, mas... não é ecologicamente correto, né?

- Ah, até aí o secador elétrico também não. Gasta energia, que vem da água e tal.
- Verdade.

- Merda por merda, fico com a mais eficiente.
- Mas será que não existe nenhuma solução que não agrida o meio-ambiente e funcione?

- Sim, a camiseta.
- A camiseta?

- Claro: você lava a mão, enxuga na camiseta. Seca até melhor do que o papel.
- Mas... não tem problema de meio-ambiente?

- Sei lá, acho que não. Você já não está usando a camiseta? Então, ela só vai acumular funções. E enquanto isso você economiza energia e poupa as árvores.
- Haha, verdade. E afinal... é água, não vai sujar a roupa. E depois seca...

Até que as duas amigas saíram do banheiro. Cada uma deu um beijo no respectivo parceiro e os dois casais continuaram andando pelo shopping. E os dois caras não se falaram mais.

2 comentários:

Boninha disse...

Imaginei a sua cara ouvindo a conversa...

O mais legal é ficar imaginando as situações em que as pessoas estiveram pra escrever as coisas que elas escrevem. Tipo o que elas ouviram, como transformaram isso em texto e até as adaptações que foram necessárias (pra ficar mais viável ou simplesmente por não saberem todos os detalhes das vidas das pessoas).

Nossa, Heldons, acho que eu nunca escrevi um comentário tão grande por aqui. o.o

=*

paula r. disse...

parece conversa minha com os meus amigos [será que isso é bom? rs].
e realmente, que merda esses secadores.