quarta-feira, 19 de março de 2008

Sobre a minha primeira entrevista na televisão

Já relatei aqui, no início deste ano, como é desagradável ser entrevistado. Eu, estagiário que entrevista pessoas por aí, acabei me acostumando mais por estar atrás das câmeras perguntando, e não na frente dela, respondendo. Mas após ser entrevistado próximo ao Ginásio do Ibirapuera em janeiro, achei que minha cota na frente das câmeras tinha acabado. Nem tanto.

Era uma tarde de segunda-feira na redação e eu estava empolgado por motivos óbvios: tinha visto o Zidane jogar e ainda tinha-o entrevistado no dia anterior, o Palmeiras tinha vencido o São Paulo por 4 a 1, estava apenas iniciando uma semana curta que terminaria em um feriado gigante e com uma viagem... Enfim, tinha razões de sobra.

E foi nesse estágio de empolgação que o Shrek me perguntou o meu ramal. Estranho alguém me ligar na redação, mas sempre há alguma surpresa: assessores de imprensa, colegas desesperados... certa vez, os técnicos de Thiago Pereira e da seleção venezuelana masculina de vôlei me ligaram no mesmo dia. Achei que, depois disso, minha maré de sorte workaholic tinha acabado. Errei.

Falei ‘5956’ para o Shrek e meu telefone tocou. Atendi com um ‘Gazeta?’ de sempre e tive uma surpresa ao ouvir uma voz feminina do outro lado. “Oi, Felipe? Prazer, meu nome é Marcela e eu sou produtora do BandSports, tudo bem?”. “Sim, Marcela, tudo bom...”. “Então, Felipe, você acompanhou o Zidane ontem, participou da coletiva, foi ao jogo, certo?”. “Sim, sim”.

(Neste momento, achei que eles precisariam apenas que eu confirmasse alguma informação ou passasse alguma aspa do Zizou que eles não tinham entendido. Errei de novo).

“Ah, legal”, disse a Marcela. “É que o Erick Beting gostaria de te entrevistar hoje no programa dele, o Parabólica, às 19 horas. É coisa rápida, você entra por telefone e fala cinco minutinhos, pode ser?”. Lembrei que meu grupo de telejornalismo na faculdade tinha marcado para fazer aqueles Fala Povo na Paulista justamente nesse horário. Com culpa, respondi “Sim, sem problemas”. E passei a me preparar para a minha primeira entrevista ao vivo na televisão. Empolgação!

Rapidamente, enviei um e-mail quase que ensandecido para a Fla avisando a novidade. Instantes depois falei a novidade para o Raul e para o Mané. Assim que o Pré-olímpico de boxe deu uma folga na ESPN Brasil, liguei para a minha mãe e também a avisei do que aconteceria. O único problema era que, como o BandSports só é sintonizado na TVA, todo mundo teve que se aglomerar na frente dos computadores, na TV UOL.

Então o tempo passou até que o relógio do meu computador marcou 19 horas e minha mão começou a gelar. Levantei, enchi a minha garrafinha d’água e retornei à minha cadeira. 19h15 e nada. Virei para trás e perguntei à Martinha e à Carol Canossa, que já haviam sido entrevistadas no BandSports, se a demora era normal ou se corria o risco de terem derrubado a pauta no programa e nem terem me avisado. Sim, eu estava nervoso e ansioso. E com um medo danado de gaguejar ou falar alguma groselha na televisão.

Foi quando o Raul perguntou meu ramal, às 19h18. Respondi 5956, falei rapidamente com a Marcela e ela me colocou no ar. Antes de ser anunciado pelo Erick Beting ("Estamos na linha com Felipe Held, repórter da Gazeta Esportiva.com.br"), olhei para trás e vi a redação inteira aglomerada na frente do computador da Carol para ver a entrevista. Responsabilidade!

No ar tudo correu muito bem. Não houve perguntas bizarras como aconteceu com a Carol, que teria que falar sobre judô com a Bárbara Gancia e foi perguntada sobre Mianmar (ninguém mandou menosprezar a minha notícia de geopolítica!). Tudo correu bem, eu não gaguejei e nem falei tantas besteiras. Até fiz piadinha. Claro, deixei a redação com um sorriso de orelha a orelha.

E, para fechar o dia, ainda dei autógrafo para o Mané. Que dia!

4 comentários:

Fábio disse...

Pô, cara, eu quero um autógrafo teu também! Primeiro, vê o Zidane de pertinho; depois, dá entrevista na TV; e, ainda por cima, cumpre a promessa de não zoar muito no blog após a goleada do último domingo.

Eu quero um autógrafo, porra!!!

=)

Mas, sério, esse negócio é um tanto estranho mesmo, né? Na época do lançamento do livro achei meio bizarro também, hehehe... Prefiro ficar do lado de cá, perguntando ao invés de responder. E você?

Lucy in the Sky disse...

A minha identidade "secreta" foi pro espaço de vez.
;p


Acho que fica muito chato eu usar a palavra "Orgulho" de novo, não?
Então, PARABÉNS! Pelo sucesso que está apenas começando e por ser um excelente profissional já no início.
(Ah, e pela fama. rsrsrsrs*)

Beijos

Lui disse...

Você tá me falando sério que o Zidane tava aqui???? E como eu não sabia disso???? E como você não me avisou que isso ia acontecer???? Eu não falei pra você que eu sou completamente doida por esse homem???? Que absurdo, que absurdo!!!!

Conta mais dele, vai?

Carolina Maria, a Canossa disse...

Estou tão traumatizada com a Barbara que até hoje não reuni forças para escrever sobre isto. (modo revelação on)E olha que não foi a primeira vez que ela me entrevistou. (modo revelação off)