quinta-feira, 13 de março de 2008

Nada é perfeito (ipod in memoriam)

Embora não seja a pessoa mais otimista do mundo, não nutria nenhum sinal de pessimismo em relação às perspectivas a respeito da quarta-feira, 12 de março. Muito pelo contrário, diga-se. Em um raro período de excitação vivido ultimamente, até cheguei a comentar com a Lucy que o dia seria perfeito.

Por que seria perfeito? Bom... ainda que o fanatismo pelo meu time de futebol não seja mais o mesmo de uns nove anos atrás, ontem teria jogo do Palmeiras no Palestra Itália e ambos iríamos. Isso tudo já valia por si só.

E a expectativa de ir ao Parque Antártica nem me deixou abalado logo pela manhã, quando eu descobri que não teria como enviar alguns documentos necessários para a minha tão sonhada viagem de férias e fui obrigado a rever alguns planos. Enfim.

As coisas melhoraram bastante quando eu saí do trabalho e fui informado de que não haveria aula na faculdade. Muito embora eu nem planejasse assistir às duas aulas do dia, o fato de que não receberia faltas para ir ao jogo inflou meu otimismo. Shrek, um dos estagiários que ralam absurdamente muito, e eu, então, fomos juntos ao Palestra até a metade do caminho, quando ele foi se encontrar com o pai e eu, com a Lucy.

“Nossa, são nove da noite e eu estou andando aqui, sozinho, nessa rua escura pra caramba. Algum tempo atrás eu teria medo, mas não hoje”, foi o que eu pensei enquanto me preparava para entrar na Turiassu. Mas parei de me preocupar quando revi na fila da bilheteria o Chitão, amigo dos tempos de colégio e grande companheiro de Palestra. Foram alguns minutos para trocar risadas, perguntas de praxe... momentos bacanas.

Então entramos no estádio sem problemas, nos encontramos com a família do Shrek e o jogo começou. Apesar de a Ponte Preta ter marcado 1 a 0, não desanimamos. Também não desanimamos quando a chuva caiu, apertou e nos castigou. Até porque o Palmeiras virou e ganhou por 2 a 1. Perfeito, mais divertido que uma goleada.

Na saída, a chuva, que já era forte, ficou ainda maior. Fiquei prestando atenção nas poças de água na Turiassu enquanto voltava com a Lucy, que em certo momento me puxou um pouco preocupada e aconselhou “vem pra cá”. Olhei para trás e vi um cara com a mão ligeiramente esticada.

Assim que paramos na Sumaré, virei a mochila para pegar o celular da Lucy e o bolso estava aberto pela metade. Não encontrei o meu ipod, a minha carteira e, pior, nem o celular dela. Fui roubado pela primeira vez em 20 anos. Assim que me dei conta, uma enxurrada passou com tudo pelos meus pés. “Tava tão bom hoje, Lucy, mas sempre tem algo pra estragar e não deixar as coisas perfeitas”, reclamei, quase que infantilmente.

A “sorte” foi não ter perdido também o meu celular. Consegui passar meu paradeiro ao Shrek e voltar de carona para casa. Além disso, ainda vi que ficaram comigo o bilhete único, a chave de casa, o cartão do banco, o VR e o crachá da Gazeta. Menos pior.

Então acordei hoje cedinho, terminei o relatório da faculdade sobre Ciência Política e fui ligar para o Bronzatto para avisar que a minha parte estava terminada. Meu celular, que se molhara um pouquinho, ficou temperamental. Disparou a tecla 4 e o botão verdinho só trabalha quando quer.

Além disso, perdi todas as anotações de aula feitas nas últimas seis semanas (eram duas páginas de monobloco), a apostila de Ciência Política está parecendo uma sopa de letrinhas e a Odisséia herdada do Mané ficou em estado ainda mais deplorável. Repetindo o próprio Mané, que por sua vez repetiu a Carol Canossa, não exite alomço grátis.

Ah, que maravilha! Mamãe vai adorar quando ler isso....

7 comentários:

Fábio disse...

Pelo menos o Palmeirinha ganhou, né?

Lucy in the Sky disse...

Pelo menos o PALMEIRAS ganhou, né?
:]

Fábio disse...

Agora falando sério, tô morrendo de medo de o São Paulo tomar uma goleada no domingo. Não temos zaga, não temos técnico, não temos quase nada neste 2008 que promete ser sofrível pelos lados do Morumbi...

Peguem leve em seus respectivos blogs na segunda-feira que vem, tá? ;)

Anônimo disse...

Oiê.
Você fez B.O de roubo dos seus documentos?
Conselho: faça.
Roubaram minha carteira o ano passado, logo depois de eu ter me demitido e sair chorando da empresa. O cara se aproveitou da minha situação, sacana.

Ele levou tudo. Carteirinha da Cásper, do serviço, cartão de banco, VR, dinheiro - que eu tinha acabado de tirar. Foi um saco.

Beijooooo.

Allan Brito disse...

E você ainda não contou sobre o cancelamento do RG...

PORRA!

O almoço não é grátis, mas podia sair menos caro neh?

Melhor sorte nas próximas!

O jogo da Lusa é logo menos...

Abs!

Carolina Maria, a Canossa disse...

Repito meu comentário sarcástico da redação: nem eu que sou caipira levaria um iPod para um estádio.

E tenho dito!

Mané disse...

Pessoalmente, acho que o Palmeiras não ganha no domingo. Mas...

Mas o que me doeu no relato foi saber da Odisséia. Não que todo o resto tenha sido bom, longe disso, mas é que eu não sabia do livro mesmo. Você acha que temos condições de passar a tradição adiante?