quarta-feira, 26 de março de 2008

Paixão ao som de Liverpool

Não sou o maior beatlemaníaco do mundo. Confesso que algumas vezes até tenho um pouco de dificuldade para distinguir o Ringo do George em algumas fotos mais antigas. Também não sei detalhes ou curiosidades do quarteto de Liverpool ou coisas do tipo.

Acontece que um dia desses, voltando para casa ouvindo Help! como há tempos não fazia, tive um pensamento bobo. Imaginei como seria um namoro (fictício, claro!) narrado praticamente inteiro com versos dos Beatles. É loucura imaginar e, mais ainda, tentar reproduzir.

Mas vejamos o que eu consigo. E qualquer coincidência com casos reais vividos por amigos ou semelhantes será pura coincidência musical.

--

Tudo começou, claro, em uma balada. Após algumas músicas e muitas cervejas, o cara olhou para o lado e bateu seu olhar ao de uma garota. Well she looked at me and I, I could see that before too long I’d fall in love with her. Após uma ou outra troca de olhares, o cara tomou a iniciativa e foi atrás de sua paquera. Era o primeiro passo de tudo. Well, my heart went boom when I crossed that room and I held her hand in mine.

Segurar as mãos de uma garota, de fato, é algo fora do comum. Capaz de despertar um amor profundo em um homem caso a ‘química manual’, por assim dizer, bata. E com esse casal não foi diferente. And when I touch you I feel happy inside. Is such a feeling that, my love, I can’t hide. Não tardou, então, que a paixão instantânea se consolidasse. Close your eyes and I’ll kiss you.

Mas uma noite, por mais longa que possa durar, um momento chega ao fim. Antes de se despedirem, os dois enamorados trocaram juras se não de amor, pelo menos de paixão. Tomorrow I’ll miss you, remember I’ll always be true. Cada integrante do casal, contudo, foi obrigado a retornar à sua respectiva casa. Mas ambos estavam em êxtase e, apaixonados, foram cada um para um lado da cidade cantando para si mesmos: Ob-la-di, Ob-la-da, life goes on bra... la la how life goes on!

No dia seguinte, o rapaz acordou ainda mais entusiasmado ao abrir os olhos e se lembrar da garota que havia conquistado na noite anterior. E não conseguiu parar de pensar nela. Something in the way she knows that I don’t need no other lover. Something in her style that shows me I don’t want to leave her now, you know I believe and how!

Ligou para a nova amada e marcaram de se rever. Ela topou, mas um pouco insegura quanto ao que acontecia. Com sentido: havia conhecido o cara na balada, o que será que ele queria? Mas topou.

E após passar algumas horas com o seu novo amante, voltou para casa com os olhos marejados ao ler a carta escrita pelo cara e deixada dentro de sua bolsa. When I get older losing my hair, many years from now, will you still be sending me Valentine, birthday greetings, bottle of wine? Will you still need me, will you still feed me when I’m 64?

No encontro seguinte, a garota tinha apenas uma dúvida antes de se entregar de corpo e alma à nova paixão. Não tardou para que fosse esclarecida. You’re asking me will my love grow. I don’t know, I don’t know. 'Por quê? Amigos, antigas paixões?', questionava ela. 'Não', respondeu o rapaz. Of all these friends and lovers, there is no one compared with you. And these memories lose their meaning when I think of love as something new.

Na mesma noite, viveram a primeira noite de amor. E o cara, nas nuvens, não conseguiu dizer nada além da sua própria surpresa. You know you twist little girl, you know you twist so fine… Come on and twist a little closer now and let me know that you’re mine.

O rapaz, cego de paixão, acabou voltando sua vida em função da amante. Trabalho, amizades, demais tarefas... tudo passou para segundo plano. É claro que ele não se importava. And all I have to do is think of her.

Não muito tempo depois, marcaram de se reencontrar. Ele, certo de que passaria por ótimos momentos, mal se continha. Sitting in an English garden waiting for the sun. Looking for the girl with the sun in her eyes. Mas a mulher, estranhamente, já estava em outra. O cara não entendeu. Ela, então, tentou consolar sua antiga paixão. Nowhere man, don’t worry. Take your time, don’t hurry. Leave it all ‘till somebody else lend you a hand.

Em vão. O cara não entendeu e tentou contra-argumentar. Martha, my dear, you’ve always been my inspiration. Please, be good to me. Martha, my love, don’t forget me. Take a good look around you, take a good look around to see that you and me were meant to be for each other! Hold your head up, see what you’ve done! Também em vão. E tudo chegou ao fim.

O dia seguinte foi cortante como fel para o rapaz, que não conseguiu se livrar das memórias. Yesterday all my troubles seem so far away. Now it looks as though they’re here to stay. Suddenly I’m not half the man I used to be. Why she has to go I don’t know, she wouldn’t say. I said something wrong?. Tentou escrever uma carta para a sua antiga amada, mas parou assim que se sentiu como o Padre McKenzie: writing the words of a sermon that no one will hear.

Sua situação melhorou apenas quando voltou um pouco a si e reconheceu que não sairia desse mau momento sozinho. Recorreu a um amigo. Help! I need somebody, you know I need someone! Help! When I was younger, so much younger than today, never needed anybody’s help in any way. And now my life has changed oh, so many ways. I know I just need you like I’ve never done before.

E o amigo, antes esquecido, não se importou com o pedido de ajuda. Hey, dude, don’t make it bad: take a sad song and make it better. And any time you feel the pain, hey dude, refrain, don’t carry the world upon your shoulders.

Mas o rapaz ainda se sentia, no mínimo, debilitado. Now I’ve find I’ve changed my mind, I’ve opened up the doors. 'Calma', dizia o amigo. You’re waiting someone to perform with. And don’t you know that it’s just you? Hey, dude, you’ll do!

E ele conseguiu. Um mês depois, pegou-se dando conselhos e rindo da história para um outro amigo que acabara de passar por situação parecida. And all the broken hearted people living in the world agree that will be an answer: let it be.

2 comentários:

Fábio disse...

E isso porque você disse que não é beatlemaníaco...

Sei.

Camila Mamede disse...

Já vivi esse post. Os mesmos versos, talvez não exatamente na mesma ordem.

Tudo é possível.

Doeu, mas foi bom ler.