domingo, 17 de fevereiro de 2008

Mistério de 25 horas da humanidade

Todos os anos, geralmente em fevereiro e pouco depois da esbórnia carnavalesca, grande parte da população brasileira se depara com um fenômeno artificial ligeiramente bizarro: o dia mais longo do ano.

Pois é. Aprendemos nos primeiros dias de escola (alguns mais avançados tomam conhecimento antes) que os dias têm 24 horas. Há quem diga por aí que a duração do dia é um pouco menor do que isso: em números exatos, o dia teria a duração de 23h56 horas siderais.

Polêmicas científicas à parte, o fato é que em fevereiro há o dia de 25 horas, que geralmente é plano de fundo para acontecimentos muito, mas muito estranhos. Sobretudo por ele ter duas meias-noites, a hora cabalística.

A mais comum dessas coisas peculiares é o fato de que o dia mais longo do ano é o que mais recarrega as energias do ser humano. Basta ir para a cama antes das 22 horas e pegar no sono. Você acordará no dia seguinte com a sensação de ter dormido muito mas do que o normal.

Mas o dia das 25 horas se torna ainda mais esquisito se ele for a véspera do seu aniversário. Há relatos verídicos de pessoas que saíram com uma idade e, após cantados dois parabéns nas duas meias-noites, voltaram para casa dois anos mais velhos. Já pensou?

Por essas e outras, ufólogos, psicólogos, cartomantes, líderes espirituais, chefes de família, conselheiros e palpiteiros são uníssonos: se possível, guarde leito no dia de 25 horas. É seguro, é saudável, é econômico, preserva amizades e, como já dito anteriormente, recarrega energias. Dica pessoal. O duro é ter que aturar o Zorra Total na televisão.

Mas é claro que há controvérsias quanto à mística do dia de 25 horas. Tem aqueles que costumam se dar bem na tal data cabalística, enquanto outros, fiéis e inocentes, juram que será nesta data a inauguração do famigerado estádio do Corinthians.

Já a mídia marrom e golpista tenta nos convencer de que é apenas um dia normal, que marca o fim do horário de verão (aham, e eu sou o Bozo!). Mas amigos de amigos meus juram que um dia com 25 horas não é quase nada perto do universo paralelo encontrado dentro do Unibanco, onde o dia tem 30 horas. Medo.

4 comentários:

Fábio disse...

No sábado à noite, entrei no cinema às 23h30, assisti a um filme de pouco mais de 2 horas de duração e saí da sessão à meia-noite e meia!!!

Coisas do dia de 25 horas.

Lucy in the Sky disse...

hahahahahaaha
Excelente texto!
Bem, mas eu acho mais fácil o Bush ser eleito presidente do Brasil no dia das 25 horas do que o estádio do Corinthians ser inaugurado.

Beijos

Anônimo disse...

Hahahahaha!
Muito, muito bom, como sempre!

Allan Brito disse...

hahahaha...

Tb nunca entendi essa parada do Unibanco...

E olha q agora até sou cliente de lá por causa do iG...


E sei bem q o senhor ñ passou a hora a mais do seu dia na cama, como os ufólogos, psicólogos, cartomantes, líderes espirituais, chefes de família, conselheiros e palpiteiros recomendaram hein...

hahahaha...

Abs!!!

Ps: acabei d ler seu post aqui d baixo... mt bom tb!!!

Esse encontros são duros demais msm, mas o seu foi teeeenso...