sábado, 28 de junho de 2008

Palavras que valem a dor do mundo

Estava aproveitando o banco vago no metrô lotado para colocar em dia minhas leituras universitárias um dia desses. Perto do ponto final, com o trem já vazio, notei que ao meu lado havia um papel dobrado, escrito com uma bela, bela letra feminina.

Era um longo texto. Ousei tomar posse e lê-lo, e acabei tendo conhecimento da carta de amor mais bem escrita que já vi. Não tinha o nome daquele que receberia aquelas lindas palavras, e nem quem a tinha escrito. Mas isso, certamente, seria papel secundário.

Peço desculpas à autora, que por certo tem sua veia de escritora e teria todo o direito de cobraros direitos autorais. Mas publico aqui, neste humilde blog, a mais bela carta de amor que esses meus olhos míopes já leram.

-------

(Primeiramente: meu amor por você é tão grande que as palavras fogem com medo da responsabilidade. Mesmo assim vou tentar.)

Hoje faz duas semanas que meu coração começou a bater em ritmo acelerado e diferente. Duas semanas que você não me sai da cabeça. Duas semanas de noites de sono reduzidas. Duas semanas de diálogos constantes. Duas semanas que parecem dois anos. Hoje faz exatamente duas semanas que eu descobri que estava completamente apaixonada por você.

Qualquer pessoa normal duvidaria da nossa história e da intensidade dos nossos sentimentos. Confesso que até eu me assustei e duvidei a princípio, afinal, nunca tinha vivenciado ou conhecido algo semelhante. Mas quer saber? O amor não tem regras e o desejo não tem limites. E eu aceito sentir sem entender.

Meu coração acelera só de pensar em você e fica pequenininho toda vez que você vai embora, seja da rodoviária ou da internet. Meu coração, assim como eu, é exagerado e faz drama. E ele precisa de você o tempo todo. Dois egoístas. Meu coração e eu.

O fato, amor, é que a sensação que eu tenho é que a gente se ama há muito tempo. Não consigo me sentir precipitada, ou exagerada, muito menos falsa quando afirmo que você é o amor da minha vida. A verdade é que eu tenho vontade de dizer isso o tempo todo... e eu senti isso quando os nossos olhares se cruzaram pela primeira vez. Bastou o seu olhar que economiza palavras e eu tive a certeza de que isso tudo é real.

Ah, meu amor, se você pudesse ter escutado o meu coração quando eu olhei nos seus olhos... cheguei a acreditar que era um faz-de-conta moderno, mas de “faz-de-conta” não tem nada. Todos os meus sintomas patológicos e psicológicos provam que nada disso é ilusão ou mentirinha.

Pois se eu sinto dor de saudade, palpitações, frio na barriga, ansiedade, vontade, necessidade... pois se minhas mãos já se acostumaram com as suas, meu beijo quer só o seu beijo, os meus braços procuram o seu abraço, minha pele necessita do seu toque, meu coração abriga o seu...

E, sinceramente, eu não vivo o futuro. Eu não sei que caminho seguiremos, o que iremos conhecer, viver, provar. Eu só sei o que quero. O que devo. Agora. E agora você é a minha certeza. O meu bônus da felicidade e da sorte. O meu presente. A minha alegria. O meu amor. Agora eu não me imagino mais sem você e te quero louca e perdidamente.

Você é a melhor poesia do meu dia. E eu não sei mais quem eu sou, mas eu gosto de mim assim. E vou. Enquanto isso, meu coração me engole. Engole minhas palavras, meu desejo, me alimenta.
Existe uma frase linda da Adélia Prado que diz: "uma noite estrelada vale a dor do mundo". Amor, você vale a dor do mundo. Nossos beijos valem a dor do mundo. Nossos toques, nossos sorrisos, a nossa cumplicidade, nossos abraços, a nossa saudade, nossas frases, cheiros. O amor que existe dentro da gente vale a dor do mundo.

Só sei, meu bem, que com você eu descobri que a vida pode ser muito mais fácil quando se tem alguém para somar e planos para dividir.

Como você faz tudo parecer tão fácil?

Amar nunca foi tão bom. E eu te amo.

2 comentários:

L.F disse...

isso foi intenso.

juliana moura disse...

preciso amar.

urgentemente.