segunda-feira, 16 de junho de 2008

O tédio e a noite de domingo

Há coisa pior do que um acesso de tédio em plena noite de domingo, ao som da música do Fantástico? Sim, algumas. Mas quando chega esse momento de calmaria lá pelas 21 horas dominicais, fica sempre aquela sensação de que os nossos problemas não têm solução, de que todo o nosso esforço para conseguir sair com aquela garota será sempre em vão, de que o mundo hostil em que vivemos não tem salvação... e por aí vai.

Estava passando por um momento semelhante na última noite de domingo, mas sem um motivo lá muito especial. Acabei encontrando uma amiga online no MSN e, depois das perguntas de praxe (tudo bom, como você tá, novidades, como passou o final de semana?), comecei a desabafar. Meio assim, do nada.

Falei muitas das coisas que mais me incomodavam naquele momento. Digitei, digitei, digitei... e, quando parei para reler, me senti mal. “Mas puta merda, quanta besteira!”, pensei. Reclamei de mim com a Mahh e comigo mesmo.

“No fundo, putz, eu fico aqui reclamando de tanta besteira... e ontem, antes do jogo da seleção de vôlei, vi lá na entrada do Ginásio do Ibirapuera uma mulher em uma cadeira de rodas. Ela não tinha as duas pernas, um braço e uns quatro dedos na mão que restava. Então ela parou para tirar uma foto com um dos animadores de torcida vestidos de jacaré... e lançou um sorrisão, Mahh! Quer dizer... ela lá, toda fodida, mas toda feliz por uma coisa tão besta, enquanto eu fico aqui me queixando meio que à toa! Acho que isso me deprimiu, de verdade”.

“Fê, você quer me ligar?”

“Haha, quero”.

Então liguei para essa minha amiga. Passamos um bom tempo no telefone, e eu simplesmente esqueci que estava em um momento de tédio em uma noite de domingo. E me esqueci de qualquer coisa que poderia me deixar mal àquela hora.

É sempre bom ter para quem ligar em momentos assim.

2 comentários:

Caroline Arice disse...

Você vai ficar ofendido se eu disser que, se não fosse pelos adjetivos masculinos, esse blog pareceria de uma garota?
Não se ofenda.
Isso pode ter sérias vantagens (pro mundo).

L.F. disse...

Me sinto uma intrusa, mas quero deixar minhas poucas palavras .
Bem escrito, toque de humor e uma certa intensidade.
Gostei e ponto.

=]