sexta-feira, 10 de junho de 2011

Entenda as piadas sem sentido do Chaves: o pirata Alma Negra não sentia muito

Tem coisa melhor do que acordar na casa da sua namorada, ligar a televisão às 11 da manhã e estar passando Chaves em espanhol? Bom... ok, há muitas coisas melhores que isso. Mas a nossa série predileta, em idioma original, seguida de Chapolin... fica difícil encontrar (a parte boa é que minha namorada não lê isso).

Enfim. Deixemos de bobagens e vamos a um fato raro nesta série que tem mudado a vida de pessoa nenhuma. No episódio transmitido naquela manhã fria e de nuvens vulcânicas na Argentina, relembrei uma piada bem sem graça nos episódios de Chapolin e os Piratas, que finalmente teve sentido.

Quando o Alma Negra tenta envenenar o Chapolin com o copo de vinho batizado feito pela taberneira, ambos se sentam à mesa, e o pirata proíbe o Polegar de tomar um suco de laranja (de tamarindo, na versão original). Alma Negra, então, repete "sinto muito", e leva uma paulada na cabeça. Mas por quê? "É... pra doer mesmo, então...", diz o Chapolin. Peraí, como assim? É verdade, olhe você mesmo no vídeo abaixo, a partir de 6:20.



Não é nada disso, meus caros. A cena tem sim graça em espanhol, e baseia-se em um trocadilho originado pela semelhança de pronúncia entre B e V na língua castelhana. Vamos ver?

O Alma Negra havia obrigado o Chapolin a tomar o vinho batizado, enquanto o nosso herói colorado havia recebido o copo de suco da taberneira. Os dois se sentam à mesa, e o pirata exige o copo do Polegar. Em espanhol, assim (ou conforme o instante 7:45 do vídeo abaixo):


- Dame tu vaso
- Qué?
- Que me des tu vaso


E então vem a paulada. Por quê? O Chapolin explica:

- Me dijiste que te diera tubazo!

Lembram-se da piada da escolinha, antes inteligíveis, sobre a ortografia da palavra "bala", se com B grande ou B pequena? Pois então, aí nasce o trocadilho. Como o V tem o mesmo som que o B em espanhol, Tu vaso (seu copo) e Tubazo (tubada) têm a mesma pronúncia. Simples, né?

Bom, já que estamos aqui, esclareçamos outra piada sem sentido. No mesmo episódio, quando os piratas tentam escapar do Alma Negra, a taberneira se exalta: “Não há tempo a perder, vamos fugir”, e o Lagartixa, do nada, começa a uivar como um coiote com frio. Por quê?

A cena, sem o menor nexo em português, ganha um certo sentido em espanhol. A taberneira diz huyamos, o imperativo afirmativo para o verbo huir (fugir) na 1ª pessoa do plural, enquanto o Lagartixa entende aullemos, o imperativo afirmativo para o verbo aullar (uivar) na 1ª pessoa do plural (lembrando que Y e LL têm o mesmo som na América Latina, mas não na Espanha).

No próximo capítulo: qual a diferença entre um tinteiro e a canção da ausência?

2 comentários:

Antonio Carlos disse...

Muito bom!!

Shoyuxx disse...

esse leve trocadilho com a gramática deixa claro o porque a chiquinha pergunta se NÃO LEMBRO O QUE se escreve com V de BURRO ou B de VACA