quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

A nova voz do Chaves

Faz um tempo, cheguei em casa numa sexta-feira à noite e me decepcionei com a versão dublada de O show de Truman – um filme que eu cansei de ver com o áudio original e com legendas em português, espanhol e sem legendas. Dentre outras coisas, fiquei reclamando do fato de que era complicado ver as mesmas coisas de sempre com outro ‘tempero’ (no caso, voz).

Blábláblás à parte, esses dias fiquei sabendo que as Lojas Americanas estava fazendo uma baita promoção fenomenal de DVDs do Chaves e do Chapolin. Depois de muito ter vontade de ir ver o que eu poderia conseguir para alimentar meu vício de infância com a série mexicana, acabei comprando duas coletâneas – ambas do Chapolin, já que vira e mexe o SBT resolve tirar o Polegar Vermelho do ar sabe-se lá porquê.

Voltei para casa feliz da vida com as minhas novas aquisições e com a chance de ver episódios como os impagáveis como os da corneta paralisadora, dos aerólitos, do mini-disco-voador, do vazamento de gás e da o honorável cobrador da companhia elétrica. Foi o melhor negócio que eu poderia ter feito, com apenas 25 pratas desembolsadas. E já estava até pensando em voltar lá nas Americanas para comprar todos os outros DVDs à venda.

Ao colocar o primeiro disco para rodar, percebi que poderia conferir algo ainda mais incrível: a possibilidade de ver os episódios com o áudio original, em castelhano. Para mim, que acabei me interessando extremamente por portunhol depois de passar uns dias em Buenos Aires, teria uma chance e tanto de entender o sotaque mexicano.

Mas... mas... mas coloquei o disco e, assim que rodou a primeira cena, a maior decepção dos últimos tempos: todos os personagens tinham a mesma voz da dublagem original, mas... justamente o Chapolin... não. Nada daquela voz característica do Chaves e do Polegar, que guiou a minha infância, adolescência e início de fase adulta, mas... não. A voz era aquela do desenho animado do Chaves, uma voz... que... não tem nada a ver com o Chaves. Urgh.

É difícil entender, sou muito conservador nesse sentido. As piadas são as mesmas geniais de sempre, mas... sem a voz original do Chaves, fica tão difícil ter o mesmo prazer intenso em assistir aos episódios originalmente dublados pelo Marcelo Gastaldi – dono da Versão Maga e que morreu há 14 anos, tendo no currículo a voz, também, do Charlie Brown no Snoopy e da música final da dublagem de A vida de Brian.

A voz do Chaves feita pelo Gastaldi era única, sabe-se. Mas tem uma coisa: o cara morreu em 1995 e... até hoje, ninguém nunca conseguiu imitar a voz do Chaves? Em toda esquina se encontra um imitador do Sílvio Santos, em todo bairro tem três ou quatro arremedando a Dercy Gonçalves... e ninguém como Gastaldi? E pior, me colocam uma outra voz no melhor seriado de todos os tempos? Não me entra na cabeça.

E... ok, passou meu momento de indignação. Mas passei a ter essa sensação: alguém que saiba imitar perfeitamente o Chaves e fizer um curso de dublagem ganharia rios de dinheiro dublando no lugar do atual dublador original. Que, convenhamos, é um vexame.

3 comentários:

Fábio disse...

Chaves sem a voz do Gastaldi (nem sabia o nome dele) realmente não tem graça nenhuma. Mas o melhor seriado de todos os tempos é, de longe, "Anos Incríveis", pô! ;)

Bonie disse...

1) Chaves é ruim, e tenho dito.
2) "Anos Incríveis" é bem melhor, concordo.
3) Me arrependi profundamente de ter te falado da promoção.

e... 4) DE ONDE veio esse post? Tipo, para de mudar as horas das postagens! hahaha

Lobo disse...

Grande garoto! Estava vendo uns textos antigos no meu blog, e revi um comentário seu... Você continua a escrever muito bem, meus parabéns - seus apontamentos e ironias são divinos!
Hehehehehe...
Grande Abraço!