quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Momento de glória

A música Chariots of fire nunca fez tanto sentido para mim como naquela tarde. Estava quente, bem quente, quando dobrei a esquina da Brigadeiro Luís Antônio com a Paulista. Estava cansado, já praticamente exausto, mas respirei fundo e acelerei com a música ao fundo.

Não sei de onde tirei o último aquele último pique, mas respirei fundo e não parei mais de correr. Foram os 400 metros mais gostosos da minha vida, correndo pelo asfalto com a cabeça erguida, até cruzar a linha de chegada, arquear as pernas e respirar fundo antes de receber um copo d’água.

Instantes depois, o segundo colocado da corrida veio me cumprimentar. Deu os parabéns pelo meu sprint final, me parabenizou pela corrida de recuperação e pelo fôlego que eu esbanjei após correr 14 km. Apertei a mão daquela figura conhecida, com as orelhas quase do tamanho de toda a cabeça, e falei que ele que era um verdadeiro campeão.

Logo em seguida, tirei a camisa e me olhei no espelho. Deveria ter perdido uns dois, três quilos só naquela corrida. Olhei meu rosto, acabado, margeado por mechas do cabelo encharcado. Não lembro se sorri pela vitória.

Meu celular, então, tocou. Atendi, era o Mané me ligando para confirmar o almoço que tínhamos marcado há alguns dias. Eu não tinha nenhuma marca de cansaço na voz quando ele me perguntou se estava tudo bem: “Tô sim, cara. Acabei de ganhar a São Silvestre”, contei.

Tentei voltar a dormir e não consegui. Estava em êxtase por ter ganhado a prova mais tradicional do atletismo brasileiro. Passei mais dois minutos tentando reconstruir a cena que eu tinha acabado de presenciar e só fui notar que tudo não tinha passado de um sonho quando lembrei quem tinha sido o segundo colocado: o Lima Duarte.

Eu fui o vencedor da São Silvestre e o vice-campeão foi o Lima Duarte? Aí então eu percebi que aquele tinha sido o sonho mais bizarro da minha vida. E olha que eu nem contei da ultrapassagem que fiz sobre o Fernando Gaia Solera na subida da Brigadeiro...

5 comentários:

Mané disse...

Eu sou testemunha. Telefônica, mas testemunha.

Fábio disse...

Pô, só faltava não chegar à frente do Lima Duarte e do Solera, né...

Thiago Apenas disse...

"pela corrida de recuperação e pelo fôlego que eu esbanjei após correr 14 km"

Sabe quando você acorda pior do que quando foi dormir?É devido a esse tipo de sonho...

Bonie disse...

Hahahaha meus sonhos bizarros ganham, tá? =P

Pior que isso é vc receber uma mensagem às 10 da manhã de alguém que acabou de ganhar a São Silvestre em pleno 17 de fevereiro e não entender lhufas.

ARCANO disse...

Muito bom ler voce!