sábado, 4 de abril de 2015

E se um dia nos víssemos?

E se um dia o destino desafiasse a mais certa improbabilidade e te colocasse à minha frente?

Uma vez me fizeram essa pergunta, e quase engasguei com o refrigerante quando recusaram minha primeira — e evasiva — resposta. “Magina, isso não vai acontecer”.

E se um dia nos víssemos?



E se um dia nos víssemos?

Recorri aos meus sonhos para tentar identificar algum padrão de comportamento que eu pudesse apresentar quando te visse.

Não encontrei.

Nem nos meus sonhos nos encontramos.

Meus sonhos gostam de me colocar na tua casa, no teu jardim, na tua sala, mesa do jantar com a tua família, no teu quarto. Mas nunca nos encontramos.

Lembro apenas que meu peito acelerava e minhas mãos transpiravam quando se acercava a hora de te ver nos meus sonhos. Mas eu sempre era resgatado de lá momentos antes de você chegar.

Ver você já não faz mais parte dos meus sonhos.
(Ou será que meu subconsciente sabe de algo e não quer estragar a surpresa?)

Mas…

E se um dia nos víssemos?

Um comentário:

Urbaninha disse...

Voltei,
Voltei aqui porque me lembrei que você me respondeu um dia desses.
Voltei aqui pelo mesmo motivo que me trouxe ao seu mundo particular naquele dia.
O sentimento homônimo ao verme que o cavaleiro está a carregar.
Como uma vadia que volta de uma longa temporada viajando com uma trupe circense, temi encontrar a casa vazia mas ela ainda está habitada “Ufa! Graças a Deus.”
“Mas desta vez gostaria de ser bem sincera, preciso ser sincera.”
Perdão por não ser assídua do seu espaço exposto. Me sinto egoísta ao voltar só depois de tanto tempo com essa minha cara-de-pau que, sim, está disposta a tapas.
“Bem,quem sabe ele não me responde novamente” – pensei.
Ler um texto seu me faz querer escrever assim também, engraçado. - “Ora que pretensiosa!”.
E ao lê-lo parece que me intrometo em uma conversa íntima, tão voyeur, não? Hahaha. Mas graças a isso não me sinto mais só.
Obrigada, estou muitíssimo grata por me permitir ainda mais uma vez lê-lo e assim me cura das minhas parasitoses.
Vida longa à esta casa das letras! Que ainda recebe leitores fugidos com novas palavras.
Respondendo-lhe...Sem dúvida seria embaraçoso, de resto só Deus sabe hahaha.