segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Vida moderna

Duas pessoas com idéias completamente diferentes em um mesmo momento é um dos grandes problemas da vida em sociedade. É um imbróglio ainda maior quando você está frente a frente com o outro idealizador. Hum... tá, vai, eu explico.

Tinha ido votar na manhã de domingo. Desci uns quarteirões aqui no meu bairro, digitei meus números na urna eletrônica e voltei para casa. No caminho, relativamente vazio em uma das calçadas já próximas do meu condomínio, vi um cara vindo exatamente na minha direção.

Como eu sei que não sou transparente e imaginei que ele também não fosse, tive a idéia de seguir a norma básica implícita na lei dos pedestres: mantenha-se à direita. Cheguei bem perto do muro, mas o cara teve uma idéia completamente diferente: manteve-se à esquerda dele. Logo, se manteve na minha frente.

Vi que estávamos prestes a nos chocar dentro de uns cinco passos e fui um pouco para a minha esquerda. Ele, sabe-se lá por que, teve a idéia de ir para a direita. Dei, então, uma chegada para a minha direita. Ele, para a esquerda dele. Demos mais dois passos e ficamos frente a frente.

Parei. Ele também. Ameacei sair pela direita e ele, pela esquerda. Esbarrão. Parei, ele também. Tentei a saída pela esquerda e ele, pela direita. Novo encontrão. Paramos novamente. Esbocei dar um passo para a minha direita mais uma vez, e ao mesmo tempo ele ameaçou a esquerda. A vida em sociedade não estava mais dando certo, aquela calçada era muito pequena para nós dois.

O cara lá deu uma risada, falou “ooopa” e enfim tomou seu rumo. Eu não estava muito contente com esse problema tão grande para dar um passo e não falei nada, apenas abaixei a cabeça e apressei o passo. Era um domingo, estava um dia chuvoso e eu não estava lá tão bem humorado.

Ter uma idéia completamente diferente de alguém é uma droga. E fica pior ainda se isso acontecer em um domingo e você estiver com um péssimo humor. Mas é algo inerente à vida modera, talvez.

Ou... sei lá. Foi só mais uma mostra de que eu realmente tenho uma morte lenta aos domingos. E a não ser que algo realmente... ahn, surpreendente aconteça aos domingos, nada vai me fazer odiar menos o último dia do final de semana.

3 comentários:

Bonie disse...

Domingos são detestáveis.

Mas mesmo assim, sempre acaba acontecendo alguma coisa neles que os faça valer a pena :)

Fábio disse...

Mas, afinal, quem estava à esquerda ou à direita de quem?

Você ter saído pela esquerda e ele pela direita quer dizer que seu voto foi para a Soninha e o dele para o Maluf?

;)

Mané disse...

Reparou como costuma chover em domingos eleitorais? Se não reparou, tente se lembrar do referendo...