quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

37,8ºC

Não sei bem o que me aconteceu, mas o fato é que estou com febre.

Quer dizer... eu até sei o que aconteceu. Se você somar noites de pouco sono a janelas abertas, uma alimentação à base de bananas nos últimos dias (estão baratas no mercado, veja só), o botãozinho do filtro de água gelada ligado e uns sorvetes aqui e ali... além de uma mudança brutal de temperatura... acho que algo tem que acontecer.

Percebi ontem que as coisas não iam lá muito bem. Sem muita explicação, no almoço, notei que meu rosto estava suando absurdos. Pensei que era por causa da mudança de tempo, sei lá por que imaginei isso... mas sei lá.

Eu não sei bem o que eu tenho, se resfriado, virose, gripe ou alguma outra coisa ou até mesmo frescura. O fato é que ficar com febre é algo bem interessante. Hum... interessante não, dã! Acho que é mais... ahn, curioso? Que seja.

Durante a febre, você tem uma alternância gigantesca de sensações térmicas. E nada é condizente com a temperatura ambiente. Pode estar um puta dum calor e você está lá, com frio. Aí realmente o clima esfria e você começa a suar desesperadamente, quase derretendo.

As temperaturas, aliás, não fazem mesmo sentido. Hoje, por exemplo, tomei o banho mais gostoso dos últimos tempos. E olha que o chuveiro aqui de casa tem apenas três temperaturas: quente, quente pra burro e água pra ferver macarrão. O chuveiro daqui de casa é horrível em tempos de verão.

Nesses momentos, todo o seu corpo dói. Dói o cotovelo esquerdo, apoiado na cama enquanto eu digito essas baboseiras. Dói a minha garganta. Dói o meu couro cabeludo, além de toda a minha cabeça. Doem também o joelho direito, as costas, o joelho esquerdo... Dói até o olho, quando tento olhar para o lado.

Mas sabe o que é mais legal em dias febris? A vontade de não sair da cama e o sono intenso. Um sono forte que bate mesmo sendo quase manhã para mim: as 9 da noite. E quer saber de uma coisa? Vou lá para minha cama, quentinha, fechar a minha janela e me enfiar debaixo de dois cobertores. Ligar o rádio em algum jornal e acordar só amanhã de manhã.

...

Ah, esqueci de falar que é horrível acordar com febre. Todos os sintomas descritos anteriormente se potencializam e a vida se torna um inferno. Mas deixa que com isso eu me preocupo amanhã de manhã.

Um comentário:

Fábio disse...

Que vagabundo! E eu aqui, na firma, a essa hora da noite.

Humpf.